Flexibilização das regras para cursos de pós-graduação e seus desdobramentos na captação de alunos

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
BLOG 02 1

Sobre o mercado educacional e suas nuances, o que podemos ter certeza é que está sempre em movimento. Assim como o conhecimento e as pessoas para as quais ele está direcionado.

Temos enfrentado mudanças de mercado velozes, capazes de extinguir profissões antigas e gerar muitas outras, que surgem de acordo com as demandas tecnológicas. O panorama com o qual nos deparamos é de incerteza: não sabemos o que estará em voga daqui a dez anos. Mas sabemos que o movimento de inovação está constante e cada vez mais rápido.

E não é de se esperar que, perante esta onda de procura por conhecimento e habilidades, afinal, ninguém quer ficar de fora do mercado. Então eles deve começar a surgir novos meios de aprendizado (já abordamos o assunto “lifelong learners” nos últimos posts, que têm muito a ver com as novas tendências de acessibilidade ao conhecimento).

Este movimento abriu caminhos para a flexibilização da oferta de cursos de pós graduação para empresas e órgãos de pesquisa. O que desde 2011 era restrito a IE.

O que pode ser ao mesmo tempo um desafio e uma oportunidade para as IE. Que em sua maioria ainda não estão enxergando esta mudança com bons olhos.

Segundo a Folha de São Paulo, a resolução da CNE (Conselho Nacional de Educação), claro, está enfrentando objeções por parte de representantes das IE de todo o Brasil, mas possui a defesa de especialistas que entendem o aumento da competitividade no mercado das especializações.

A preocupação por parte dos órgãos responsáveis pelo desenvolvimento desses cursos no Brasil, no entanto, se deve à possível perda de qualidade das especializações.

Mas como enfrentar este cenário possível?

Primeiramente é necessário repensar em como a sua IE oferece estes cursos: eles estão alinhados com os conhecimentos demandados pelo mercado?

O contexto de procura por conhecimento já mudou. E a tendência com estas novas regras é que fique cada vez mais voltado ao que está sendo solicitado de forma direta pelas empresas aos candidatos (seus potenciais alunos). Afinal, a carência de especializações com conteúdo objetivo e atualizado pode acirrar esta competitividade a partir de agora.

Sendo assim, a proposta dessa flexibilização cumpre o que promete. Ela vai, de fato, aumentar a competitividade e fazer com que as instituições ofereçam cursos de pós graduação cada vez mais completos.

Outra resposta seria fazer parcerias com estes órgãos e co-criar estes cursos unindo a expertise educacional e a expertise de mercado. O que pode parecer uma solução empreendedora e justa para os alunos, empresas e IE.

Estas parcerias, além de oferecer cursos focados, poderiam também ser uma forma de entregar valor aos potenciais alunos em forma de descontos, por exemplo.

Portanto, abre-se um leque de possibilidades que se aplicam às IE como oportunidades.

E o que os números indicam?

Por uma análise superficial, os números relacionados à oferta de cursos lato sensu e stricto sensu dizem muito sobre essa flexibilização. O número de interessados procurando por especializações (atualizações de mercado/lato sensu) atualmente é muito superior à procura por cursos de mestrado e doutorado (strictu sensu).

Esta procura já é bem expressiva para justificar a geração de novos cursos de aprimoramento. Confira os dados abaixo:

Flexibilização das regras para cursos de pós-graduação e seus desdobramentos na captação de alunos

No entanto, há muitos aspectos presentes nessa nova legislação que se mostram polêmicos. Como a não obrigatoriedade da apresentação do trabalho de conclusão de curso (TCC) para que o aluno se forme.

O questionamento final é como a sua IE está se preparando para enfrentar esta nova mudança mercadológica. É possível conhecer cada vez mais o mercado e aproveitar dados e mudanças de contexto para atrair alunos para a sua instituição. Acompanhe a CRM Educacional e tenha acesso a dados e reflexões sobre o mercado educacional!

Consultor especialista em tecnologia para gestão de relacionamentos na educação e faz parte da equipe de negócios na CRM Educacional. Tem o compromisso de transformar inscrições em matriculas e matrículas em diplomas. Formado em Gestão de Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi, possui 10 anos de experiência em CRM, sendo os últimos 6 anos dedicados em ajudar as instituições de ensino do Brasil com Captação, Retenção e Fidelização de alunos.

Quer mais informações sobre marketing educacional e gestão de leads?

Deixe seu contato e receba nossas novidades diretamente no seu e-mail.

Aumente sua taxa de conversão

Saiba como aumentar sua taxa de conversão e não perder alunos para concorrência.

Aumente sua taxa de conversão

Saiba como aumentar sua taxa de conversão e não perca alunos para concorrência.
[NOVO SITE] Popup Imprensa

Não saia ainda!

Preencha seus dados abaixo e agende uma demonstração.

[NOVO SITE] Popup Imprensa

Entre em contato com nossa assessoria de imprensa

Preencha seus dados abaixo e um de nossos especialistas entrará em contato.

[NOVO SITE] Popup Imprensa

Quer conhecer nossas soluções?

Preencha seus dados abaixo e um de nossos especialistas entrará em contato.