Chatbots, Apps de mensagens e a Captação de Alunos

Provavelmente você já ouviu falar dos chatbots, certo? Afinal, muito foi falado sobre este tema em 2018, e a tendência é que ele seja ainda mais explorado em 2019.

Mas para garantir que todos tenham a mesma compreensão, eu gostaria de compartilhar uma definição que encontrei no Wikipedia:

Chatbot é um programa de computador que tenta simular um ser humano na conversação com as pessoas. O objetivo é responder as perguntas de tal forma que elas tenham a impressão de estar conversando com outra pessoa e não com um programa de computador”.

Expandindo um pouco mais o conceito, os chatbots têm sido usados não apenas para responder perguntas, mas também para entregar serviços, captar leads para  auxiliar em vendas, e até mesmo fazer uma inscrição no vestibular (sim, temos um chatbot aqui na CRM Educacional, que está em fase de testes, e que faz exatamente isso).

Por outro lado, quando falamos em mensagens, uma série de aplicativos podem surgir em nossa mente: desde o e-mail (que já teve sua morte anunciada inúmeras vezes, mas resiste bravamente), o SMS (a bola da vez nas casas de aposta sobre seu fim), Facebook Messenger, Twitter e claro, o preferido dos brasileiros: WhatsApp!

Ano passado, participei de um evento no qual tive a oportunidade de assistir a palestra do Phil Gordon, que é fundador e CEO da Chatbox, empresa especializada e chatbots.

Ele apresentou alguns dados muito interessantes sobre envio de mensagens no mercado americano:
  • Por dia, são enviadas 5 bilhões de mensagens;
  • 99% dos usuários enviam mensagens de texto todos os dias;
  • O tempo máximo de leitura de uma mensagem é de até 3 minutos após o seu recebimento, em 97% das vezes;

A visão que ele trouxe, que compartilho com você, é de que o futuro da hiper-personalização (a partir da qual cada interação com seu lead ou cliente poderá ser hiper personalizada) será a construção de chatbots dentro dos aplicativos de mensagem.

Isso significa que não se trata apenas de disponibilizar o WhatsApp para seu Call Center conversar com o lead ou candidato.

É embutir uma aplicação de chatbot dentro desta ferramenta, de forma que seu lead ou candidato “converse” com o bot, que poderá resolver boa parte de suas dúvidas. O que não for resolvido pelo bot, será direcionado para um atendimento humano.

Mais do que isso, esse mesmo chatbot que está rodando dentro do WhatsApp, poderá (e deverá) ser embutido também no Facebook Messenger ou via SMS, por exemplo. Reforço o que disse: o mesmo! Sim, você terá um único chatbot rodando nas diversas plataformas de mensagens.

É exatamente isso que estamos trabalhando com muita força na CRM Educacional. Possibilitar aos nossos clientes entregar uma experiência baseada em mensagens e chatbots para seus leads, inscritos e alunos.

Com o CRM Educacional, você poderá programar facilmente seus bots e incluí-los nas plataformas de mensagem mais utilizadas pelo seu público, atendendo com maior velocidade e menor custo o seus alunos e futuros alunos.

E claro, toda interação realizada nos aplicativos de mensagens será devidamente registrada no CRM Educacional, para que você tenha um histórico completo do relacionamento com seu lead, inscrito e aluno.

Se você também concorda que o futuro da comunicação e relacionamento com alunos e futuros alunos está nos aplicativos de mensagens, e que os chatbots podem automatizar parte deste relacionamento, não deixe de marcar uma reunião com um de nossos especialistas.

Daniel Antonucci
Daniel Antonucci é Mestre em Educação e possui MBA em Marketing e em Gestão Acadêmica e Universitária. Apaixonado por Gestão, Tecnologia e Relacionamentos e com experiência de mais de 15 anos no Ensino Superior Brasileiro é CEO e co-fundador do CRM Educacional, empresa especializada em CRM para Instituições de Ensino. É também sócio e conselheiro da 5Seleto – Agência de Marketing Digital especializada em Educação, conselheiro da Bearings Vocacional, empresa especializada em orientações de carreiras e também atua como Docente em cursos de MBA e em oficinas e cursos do SADEBR – Seminário de Ações Digitais na Educação Brasileira.