(31) 2531-3161
WhatsApp
Início » Blog » Permanência de alunos: quais as principais causas da evasão?

Permanência de alunos: quais as principais causas da evasão?

Publicado em 27 agosto 2019 e escrito por

O principal propósito de uma instituição de ensino superior é fazer com que os alunos tenham a melhor trajetória de conhecimento para prepará-los para o mercado de trabalho. 

As consequências de um trabalho bem feito são a contribuição para uma sociedade mais dotada de conhecimento e, consequentemente, o crescimento da credibilidade da organização perante a sociedade.

Devido a isso, a permanência dos alunos na IE é uma meta comum entre as instituições de ensino superior.

Trouxemos neste artigo as cinco principais razões pelas quais um estudante decide deixar a faculdade e também algumas dicas de como evitar que a evasão aconteça. 

Perda da motivação de estudar

Esse é um dos principais motivos que faz com que os alunos abandonem o ensino superior. Isso ocorre, justamente, quando eles não compreendem mais a razão de estar ali fazendo aquele curso. 

Afinal, escolher uma faculdade é um processo difícil para muitos jovens e, ao longo dela, chegam a se perguntar se realmente fizeram a escolha certa.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Portal Educacional, metade dos estudantes de terceiro ano do ensino médio não sabem qual carreira seguir. 

Por essa razão, muitos acabam optando por cursos que agradam aos pais ou que tenham acesso mais fácil na hora de prestar o vestibular.

Sendo assim, quando o aluno não encontra mais sentido em continuar no curso escolhido, ele perde a motivação de estudar. E a consequência disso é a evasão.

Falta de tecnologia na sala de aula

De acordo com uma pesquisa da Quizlet, cada vez mais alunos demandam tecnologia nas salas de aula. Nos dias atuais os jovens estão conectados em seus celulares e tablets. 

Logo, é interessante que o modelo de ensino se adapte à realidade do aluno e tais ferramentas passem a fazer parte do aprendizado, de modo que os estudantes tenham maior interesse e mantenham o foco no conteúdo passado em sala de aula.

Contudo, essa não é a realidade vista em boa parte das instituições de ensino. 

A mesma pesquisa aponta que a falta de infraestrutura dificulta que os estudantes tenham acesso à tecnologia enquanto estudam, favorecendo o processo de desmotivação.

Altos índices de reprovações

Algumas faculdades têm a reprovação como principal fator de evasão no ensino superior.

Geralmente ela está associada à dificuldade do aluno em acompanhar o ritmo das aulas, por conta da deficiência de sua formação ou mesmo pela falta de interesse, conforme citamos anteriormente.

A faculdade de ciências exatas costuma ter índices de reprovação maiores, sobretudo, em cursos como engenharia e disciplinas como cálculo em que, numa turma de 60 alunos, apenas 5 conseguem ser aprovados.

Quando as reprovações são frequentes, o mais comum é que o aluno se sinta desestimulado a continuar estudando. 

Alguns procuram evitar a disciplina líder em reprovações quando chega a hora de montar a grade do semestre. 

Porém, em algum momento, ele terá de cursá-la e, se o receio da reprovação for maior, pode ocorrer uma consequência mais grave: a evasão.

Conciliar trabalho e estudos

O cenário ideal na vida de um estudante universitário é preocupar-se somente com os estudos, a fim de ter o melhor desempenho para, após a formação, entrar no mercado de trabalho, certo? 

Porém, a realidade não é esta.

É muito comum encontrar alunos que, além de estudar, também precisem trabalhar 8 horas por dia, alguns em escalas de 6 dias por semana. 

São diversas as situações que fazem com que o estudante universitário precise trabalhar, as principais são:

  • A família tem baixa renda, o que faz com que todos os seus membros tenham de trabalhar;
  • O aluno precisa do trabalho para pagar os custos da faculdade, tais como mensalidade, livros, xerox etc.

Essa rotina, por vezes, pode ser muito cansativa, fazendo com que o aluno precise escolher entre estudar ou trabalhar. 

E como as contas não podem esperar, o trabalho acaba sendo o escolhido. Essa é uma realidade que atinge cerca de 60% dos estudantes brasileiros.

Dificuldades financeiras

A dificuldade financeira é outro fator que faz com que os índices de evasão aumentem. Prova disso é que muitas instituições de ensino superior estão perdendo alunos por conta da crise no país.

Isso atinge tanto os alunos de instituições privadas que não conseguem mais pagar as mensalidades, quanto os de universidades públicas que também arcam com custos como transporte, alimentação e compra de materiais. 

Tudo isso pode pesar na balança no final do mês, forçando-os a deixar os estudos de lado.

Mas, então como evitar as causas da evasão?

Agora que já sabemos as principais causas da evasão escolar é preciso conhecer os caminhos que podem evitá-la. Por isso, listamos aqui algumas medidas:

1. Melhor atendimento ao aluno

Para impedir que um aluno vá embora da instituição, é preciso entendê-lo e saber o que está acontecendo dentro do seu universo acadêmico. Para isso, um bom atendimento ao aluno é fundamental.

Seja qual for o motivo pelo qual o aluno esteja considerando parar de estudar — falta de interesse, estrutura do campo, problemas financeiros — é de suma importância que o atendimento identifique o problema e proponha soluções, para que as chances do estudante permanecer no curso aumentem.

2. Tecnologia em sala de aula

Em uma época em que todos estamos conectados o tempo inteiro em nossos dispositivos móveis, não convém ensinar usando somente quadro negro e giz, não é mesmo?

Por isso, o investimento em tecnologia nas salas de aula é tão necessário. E não apenas para as disciplinas que requerem computadores conectados à internet, mas também tantas outras, cujos conteúdos serão melhor transmitidos ao contar com esse suporte tecnológico.

3. Formas de negociação de pagamentos

Esse é outro ponto que as instituições de ensino precisam levar em conta para melhorar a permanência de seus alunos. 

Como dito anteriormente, a dificuldade financeira é um impeditivo comum na vida do universitário que tranca ou mesmo abandona o curso.

Logo, é fundamental que ele tenha a seu dispor formas de negociar esses pagamentos, principalmente, se esse for o único empecilho para ele continuar estudando. 

O parcelamento das mensalidades atrasadas ou descontos na quitação total costumam ser as ofertas mais atrativas de negociação.

A evasão escolar é um problema que pode prejudicar a instituição em vários sentidos. 

Além de sofrer danos na parte financeira, a credibilidade da organização também pode ser colocada em dúvida. 

Portanto, reunir os responsáveis pela organização de ensino e apresentar as soluções para melhorar, ao máximo, a retenção de alunos é o melhor caminho a seguir.

Sobre o autor:

Daniel Antonucci CEO e Co-Founder na CRM Educacional, empresa especializada em Captação, Permanência e Fidelização de Alunos, também atua como docente em cursos de MBA de Marketing e de Tecnologia da Informação e realiza palestras em diversas Faculdades e Universidades pelo Brasil. Possui formação em Inovação e Empreendedorismo em Stanford, MBA em Marketing pela ESPM e Mestrado em Gestão pelo Centro Paula Souza, onde desenvolveu pesquisa sobre Modelos de Maturidade de Gestão Acadêmica em Instituições de Ensino Superior, além de especialização em ferramentas de CRM como o Dynamics CRM da Microsoft. Atua também no Conselho de Administração de empresas de marketing e tecnologia.

COMPARTILHE:

Outras notícias Mais relevantes Últimos dias