Como preparar sua IES para as Novas Regras do FIES

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
43

Posso afirmar, com quase 99% de certeza, que você tem acompanhado as mudanças no FIES, estou certo? Afinal, um dos principais motivos que impossibilitam um aluno de ingressar no Ensino Superior é justamente a questão financeira. O FIES, com estas novas regras, pode voltar a fazer parte da sua estratégia de captação de alunos. Além disso, o FIES impacta diretamente na retenção destes alunos. Você sabia que nos cursos presenciais de graduação, por exemplo,. A taxa de evasão de alunos com FIES no primeiro ano de curso é de 7,5%? Em comparação aos alunos sem o financiamento, essa taxa sobe para cerca de 25%, segundo dados da Sindata/Semesp (2015).

Mesmo assim eu gostaria de te mostrar alguns dados das mudanças do FIES. E como elas podem ajudar a atrair mais alunos para a sua instituição.

Foram criadas três modalidades de financiamento que ofertarão 225 mil vagas ainda este ano (veja o cronograma) e 300 mil novos contratos por ano a partir de 2018.

Segundo declaração do ministro da educação, Mendonça Filho. Serão criadas 100 mil vagas para o próximo ano com juros a 0% na modalidade FIES 1. E o estudante pagará uma parcela de no máximo 10% da sua renda mensal.

Isso mesmo?! Mas imagine o quanto isso pode favorecer novos candidatos que ainda não ingressaram?

CURSOS PRIORITÁRIOS DO FIES

O MEC ainda não definiu quais os cursos serão priorizados nas ofertas de vagas do FIES. Mas o governo deve enfatizar as áreas que possam gerar melhor renda e tenham maior demanda do mercado de trabalho.

Essa decisão irá ajudar os estudantes de baixa renda a financiar mais facilmente cursos nas áreas tecnologia e gestão por exemplo.

CANDIDATOS

Estarão habilitados a se candidatar às novas vagas os estudantes que possuam renda familiar de até três salários mínimos por pessoa. E que tenham obtido ao menos 450 pontos na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além de não ter zerado na prova de redação.

Se a sua instituição não utiliza o ENEM como forma de ingresso, aconselho a pesquisar um pouco mais sobre o assunto nesse post anterior. Ainda mais sabendo que 63% dos participantes do ENEM utilizam a prova para “participar do FIES”, segundo dados coletados no ENEM 2015.

PERFIL

O novo Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), será dividido em três modalidades e entre eles estão os recursos exclusivos dos fundos constitucionais regionais. Que vai oferecer contratos diferenciados para estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Mas se sua instituição de ensino tem sede nessas regiões, essa é uma informação preciosíssima e poderá ser um bom atrativo na próxima campanha.

LIMITE DE MENSALIDADE

Segundo a nova regra não está previsto um valor máximo de mensalidade. Ao contrário do que acontecia anteriormente, que tinha um teto limite de R$ 5 mil mensal para o valor do curso.

A medida traz mais liberdade a instituição para trabalhar a captação e financiamento das parcelas.

PAGAMENTO

O empréstimo agora será pago assim que o estudante deixar a faculdade e tiver uma renda formal. O dinheiro será descontado diretamente do salário do ex-aluno, com no máximo 3% ao ano por meio do eSocial. Sistema já utilizado atualmente pelas empresas para pagar contribuições e prestar informações ao governo.

E os custos com o fundo garantidor irão aumentar para a auxiliar no combate a inadimplência, ATENÇÃO a isso!

COMO ASSIM?

Agora as universidades serão mais responsáveis por cuidar do não cumprimento do pagamento. E assim ajudar a evitar a inadimplência com um valor variável para o fundo garantidor. Hoje é destinado 6,5% das mensalidades e com a nova regra passará a ser entre 13% a 20%.

Um dado importante, que o diretor executivo do Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior no Estado de São Paulo (Semesp), Rodrigo Capelato. Comentou o porquê do aumento das taxas para o alargamento do financiamento para estudantes do ensino superior. “Na crise econômica, a capacidade do governo de aumentar as vagas é baixa, pois não há dinheiro. A mudança é uma forma criativa de aumentar o número de vagas”, disse.

A medida, mesmo acrescentando um custo adicional a instituição. E assim ajudará a expandir o número de vagas para estudantes do ensino superior sem comprometer a viabilidade financeira do programa que estava fragilizada desde as últimas mudanças em 2015. Que representou uma queda de 35% novos contratos em 2014 para 13% em 2016, como constatou a pesquisa anual da Semesp.

E você, já está preparado para as novas regras do FIES?

Banners Enciclopedia captação
CEO e Co-Founder na CRM Educacional, empresa especializada em Captação, Permanência e Fidelização de Alunos, também atua como docente em cursos de MBA de Marketing e de Tecnologia da Informação e realiza palestras em diversas Faculdades e Universidades pelo Brasil. Possui formação em Inovação e Empreendedorismo em Stanford, MBA em Marketing pela ESPM e Mestrado em Gestão pelo Centro Paula Souza, onde desenvolveu pesquisa sobre Modelos de Maturidade de Gestão Acadêmica em Instituições de Ensino Superior, além de especialização em ferramentas de CRM como o Dynamics CRM da Microsoft. Atua também no Conselho de Administração de empresas de marketing e tecnologia.

Quer mais informações sobre marketing educacional e gestão de leads?

Deixe seu contato e receba nossas novidades diretamente no seu e-mail.
[NOVO SITE] Popup Imprensa

Não saia ainda!

Preencha seus dados abaixo e agende uma demonstração.

[NOVO SITE] Popup Imprensa

Entre em contato com nossa assessoria de imprensa

Preencha seus dados abaixo e um de nossos especialistas entrará em contato.

[NOVO SITE] Popup Imprensa

Quer conhecer nossas soluções?

Preencha seus dados abaixo e um de nossos especialistas entrará em contato.