Informar ou escutar? O posicionamento de interação com o aluno da sua instituição atua diretamente no processo de captação e permanência.

Existe um motivo pelo qual é muito importante prestar atenção no que está acontecendo dentro e fora da sua IE, e isso tem a ver com posicionamento, branding. E isso tem muito a ver com a captação de alunos.

É possível atrair a atenção de alunos e leads de diversas formas, muitas delas positivas – como uma boa infraestrutura, funcionamento impecável de todos os processos de captação de alunos e atendimento aos que já estão na instituição, bons professores, bons laboratórios e ferramentas de aprendizado, entre outros.

Mas o fato é que, independente de tudo isso, se a sua IE, que está em crescimento, se posiciona de forma equivocada no mercado no qual deseja atuar, pode ser que todo e qualquer esforço estrutural e de divulgação esteja literalmente indo por água abaixo, afinal estamos em uma era conectada – e o fluxo constante de informações ao qual estamos expostos também envolve seus alunos e a sua instituição.

Perante isso, quero te fazer três perguntas:

  1. Onde seus alunos estão? Você sabe em quais plataformas eles são ativos em comunicação constante? (Um exemplo, facebook, instagram, linkedin…)
  2. O quanto você acompanha essas plataformas, atende e resolve chamados dos alunos que ocorrem por lá?
  3. E o quanto você se importa com o que essas pessoas querem dizer?

Se você soube responder às três, e a resposta foi positiva, você está no caminho certo: resta aprimorar cada vez mais sua capacidade de atendimento e comunicação com o seu aluno.

Mas se as respostas foram negativas, é necessário parar para pensar, analisar e planejar ações imediatas para suprir esta necessidade – afinal, a captação de novos alunos e a permanência deles na sua IE depende muito do posicionamento dela perante o mercado e o contexto social atual.

Mas o que eu quero dizer com posicionamento?

Se a sua IE pudesse escolher um posicionamento, seria de locutor (aquele que difunde novas informações, quem pratica a fala) ou receptor (aquele que escuta, que absorve)?

Muito provavelmente, pelo contexto de utilização do inbound marketing e do marketing de conteúdo, você deve ter se deparado com o primeiro posicionamento. Quanto a isso, não é exatamente um motivo de preocupação. Gerar conteúdos relevantes para o seu público sempre será importante para que a sua comunicação funcione.

Mas não adianta somente publicar muitos conteúdos e enviar vários e-mails informativos ou institucionais se as interações realizadas pelos alunos não recebem atenção.

Responda para si mesmo: seu aluno está sendo ouvido? Seus leads estão sendo ouvidos? E como você se posiciona perante o que eles estão falando com você?

As pessoas têm economizado seus minutos de atenção – estamos em uma era de grande fluxo informacional, que muitas vezes não apresenta muitas novidades. Portanto, a dica é: pare para escutar as pessoas. Fale com elas sobre as dúvidas, inseguranças e tudo aquilo o que elas estão demandando.

Não vai funcionar escrever vários textos sobre como o curso de direito da sua faculdade é incrível e bem pontuado se você não auxiliar seus alunos no que diz respeito a dúvidas importantes relacionadas à área do direito, matrículas em aulas obrigatórias ou optativas do curso, inseguranças relacionadas à estrutura da sua IE ou até mesmo sobre a prova da OAB.

Se posicionar como locutor é fácil. Mas absorver o que o mercado está demandando é mais complicado e merece atenção redobrada ao que o cliente precisa. Como a sua IE está se posicionando? Se você precisa de ajuda para entender essa e outras questões sobre a gestão educacional, nós estamos aqui para te ajudar. Entre em contato com a gente!

 

Telio Bicalho
Bacharel em Sistemas de Informação, possui MBA em Gestão Estratégica de Projetos, MBA em Inteligência Competitiva e Inovação em Marketing. Certificado pelo Project Management Institute como Project Management Professional (PMP), atuante no mercado de educação há 15 anos.