(31) 2531-3161
WhatsApp

Chat CRM Educacional

Como combater a evasão e promover a retenção no EAD?

Como combater a evasão e promover a retenção no EAD?

Publicado em 14 junho 2018 e escrito por

Atualmente, um dos maiores desafios para o crescimento e manutenção do ensino EAD, por mais contraditório que pareça, está na desistência física entre a IES e os alunos. Os motivos para a falta da retenção no EAD são variadas: a dificuldade de adaptação ao método, a distância e o deslocamento, os problemas financeiros, entre outros.

Elencamos aqui algumas medidas que podem ser adotadas em sua instituição com o intuito de diminuir essa distância através do estreitamento da relação, além de ajudar a reter o maior número de alunos e de evitar a evasão no EAD. Confira!

Grade curricular mais simples

Estudos apontam que a maior parte das desistências no EAD ocorrem nos três primeiros semestres, quase sempre motivadas pelas dificuldades com o conteúdo ou por estes não terem o perfil do curso. Neste contexto, ao elaborar uma grade curricular, opte por disciplinas introdutórias durante o primeiro ano.

Nossa sugestão não é facilitar as coisas para o aluno, mas criar mecanismos que façam com que ele não tenha tantas dificuldades logo no início, além de auxiliarem no ensino, pois, quando chegar em conteúdos mais complexos, ele terá dominado os fundamentos da matéria e, com certeza, atingirá um melhor desempenho.

Contornando a distância

Muitas pessoas que optam pela modalidade EAD levam em consideração a distância entre a universidade e a casa/trabalho. Sem dúvida, a melhor solução seria a criação de novos polos e unidades, porém, isto só é possível com um alto investimento por parte da IES.

A internet pode ser uma ótima aliada para contornar este problema. Invista em atendimento online de qualidade, desde o atendimento com documentação até as dúvidas de conteúdo. Elimine o máximo de burocracia que faça com que seu aluno tenha que se deslocar até o polo e crie um ambiente online convidativo, que o estimule a manter-se conectado.

Não é à toa que muitas instituições vêm criando aplicativos para smartphones, para facilitarem o acesso e estarem presente em momentos pouco usuais. Pense em um cenário em que o aluno passe uma fração significativa de seu tempo em um transporte como ônibus ou metrô, mas que consiga usar este tempo para estudar por meio de conteúdos off-line ou por aplicativos. É uma boa alternativa, não acha?

O problema das finanças

Existem aqueles que optam pela modalidade EAD devido aos preços mais baixos em relação aos cursos presenciais. Por conta disto, ao menor sinal de problemas financeiros, muitos alunos desistem me de continuarem seus estudos.

Existem múltiplas opções de bolsas estudantis ofertadas por programas governamentais ou até por sites que concedem bolsas de estudo e descontos em cursos de universidades e faculdades de todo Brasil, mas é interessante para a instituição ter um programa próprio de bolsas e de financiamento.

Um programa de financiamento da instituição facilita o diálogo com o aluno e elimina trâmites burocrático em conseguir um financiamento estatal, além de alcançar aquele nicho de pessoas que pararam de estudar há algum tempo e que têm o desejo de voltar a estudar. Isto pode aumentar consideravelmente o número de matrículas.

A instituição pode também oferecer promoções, descontos ou conceder bolsas por desempenho, o que cria um estímulo a mais para a permanência do aluno.

Identificando a possibilidade para a retenção no EAD

Umas das maneiras mais eficientes de evitar a evasão é identificá-la antes mesmo de que ela ocorra. Mas como? Existem no mercado diversas plataformas inteligentes que traçam o perfil do aluno de acordo com suas rotinas de acesso aos ambientes de estudo e interações com os canais disponibilizados pelas IESs e que apontam possíveis motivos de evasão.

Usando os dados de acesso, por exemplo, sabemos os conteúdos que os alunos mais buscam dentro da plataforma virtual, como aulas ou livros, frequência nos fóruns e tempo online.

Pense na seguinte situação: podemos presumir que alunos que possuem um padrão de acesso no período das onze horas às quatorze horas, possuem pouco tempo livre e usam o seu horário de almoço para estudar. Qualquer mudança drástica neste padrão pode ser um sinal de dificuldade, insatisfação ou qualquer outro problema que pode levar a evasão. Nesta situação, o software identifica essa a mudança, gerando um alerta para IES que  pode antecipar uma ação de apoio ao aluno.

Com algumas políticas simples e identificação rápida do problema, é possível reduzir bastante o número de evasão no EAD, melhorando o método e trazendo mais prestígio para essa modalidade de ensino.

Achou nossas dicas relevantes? Acesse nossos conteúdos para novas dicas de gestão, captação e retenção de alunos.

Sobre o autor:

Daniel Antonucci CEO e Co-Founder na CRM Educacional, empresa especializada em Captação, Permanência e Fidelização de Alunos, também atua como docente em cursos de MBA de Marketing e de Tecnologia da Informação e realiza palestras em diversas Faculdades e Universidades pelo Brasil. Possui formação em Inovação e Empreendedorismo em Stanford, MBA em Marketing pela ESPM e Mestrado em Gestão pelo Centro Paula Souza, onde desenvolveu pesquisa sobre Modelos de Maturidade de Gestão Acadêmica em Instituições de Ensino Superior, além de especialização em ferramentas de CRM como o Dynamics CRM da Microsoft. Atua também no Conselho de Administração de empresas de marketing e tecnologia.

COMPARTILHE: