(31) 2531-3161

Chat CRM Educacional

Você pode perder alunos para o ensino superior público em 2016

Você pode perder alunos para o ensino superior público em 2016

Publicado em 20 janeiro 2017 e escrito por

Uma notícia divulgada no início de dezembro/2015 pode fazer sua instituição perder alunos em 2016. Pois é, se você trabalha em uma instituição de ensino superior particular, pode SIM ter problemas em um futuro próximo.

Em declaração, Aloizio Mercadante, ministro da Educação, afirmou que serão feitas novas seleções para preencher as vagas restantes do ensino superior público. Número que chega a 114 mil só em instituições federais, segundo o último censo da educação superior. E então, você acha que seus alunos podem se interessar por essas vagas?

Este número chega a 150 mil considerando todas as universidades públicas do país. Você pode pensar que este é um número baixo se pensando em Brasil, mas imagine que nesse novo movimento do governo você perca um aluno, apenas um! Qual seria o tamanho da perda para sua instituição? Seriam 30, 50, 100 mil reais?

Seja quanto for, tenho certeza de que seu mantenedor não iria gostar nem um pouco de perder alunos analisando estes números.

Nova postura do Governo que pode fazer você perder alunos

Após analisar os números de vagas ociosas no ensino superior público no país, Mercadante apontou um novo posicionamento para as IES públicas em 2016. A partir de agora, o repasse de recursos para as instituições federais será de acordo com o número de vagas ocupadas que possuem. Quanto mais vagas ocupadas, maior será o repasse que receberão.

A intenção de Mercadante ao adotar essa nova postura é justamente forçar as instituições federais a se moverem para completar as vagas remanescentes que possuem.

“Se eu aumento o número de estudantes na universidades, eu aumento o meu repasse. Todas as universidades vão buscar participar. É essa a minha avaliação”, disse o ministro.

Se antes já era difícil a concorrência com as IES públicas, agora ficará ainda mais, pois a saúde financeira dessas instituições dependerão de salas cheias.

Evasão de alunos

Se você ainda não sentiu o quanto isso pode fazer você perder alunos, eu sou obrigado a te fazer uma pergunta:

Você já se preocupou em entender os fatores que levam seus alunos a evadir da sua instituição?

Se vocês já têm esse tipo de estudo feito, vai entender facilmente o que estou dizendo, caso contrário já vou te adiantando um motivo que tem um poder enorme de tirar alunos da sua instituição:

Instituições Públicas!

Claro, afinal grande parte dos cursos das instituições superiores públicas ofertam cursos de boa qualidade, principalmente as federais. Isso sem falar que são gratuitos, o que nos faz esbarrar em outro ponto que leva à evasão, a dificuldade financeira.

É muito normal que candidatos se inscrevam em vestibulares de instituições particulares enquanto não sabem sua nota do ENEM. Assim, caso não consigam nota o suficiente para o curso que desejam em uma IES pública, já garantem seus estudos mesmo em uma instituição particular. Então, não importa se já foram aprovados ou até mesmo se chegaram a se matricular na IES particular, assim que descobrem que sua nota no ENEM foi suficiente, eles migram!

Como não perder alunos em 2017 para a rede pública

Como citei logo acima, a qualidade de ensino e a questão financeira são os dois principais pontos que levam um aluno a escolher uma instituição pública. Sendo assim, o que você pode fazer para convencer um aluno de seguir na sua instituição?

Simples! Mostre sua qualidade e dê opções com relação aos custos.

Mas você sabe como trabalhar esses dois pontos para que contem positivamente para que você pare de perder alunos para instituições públicas?

Dica de ouro: Comprove a qualidade dos seus cursos

Bom, existem algumas formas de se provar a qualidade dos seus cursos e da sua instituição para um aluno ou possível aluno. A principal, e de conhecimento de todos, é conquistar uma boa avaliação no MEC. Uma outra alternativa é apresentar (e divulgar) uma boa posição no RUF, por exemplo.

É claro que não é fácil conquistar um bom conceito nesses indicadores, mas é possível pois os critérios de avaliação são conhecidos e você pode muito bem investir em cada um deles para conquistar um bom conceito.

Existe também o ENADE que depende um pouco menos da Instituição, já que é uma avaliação realizado com seus alunos, mas ainda assim você pode trabalhar para obter uma boa nota neste quesito. Uma boa ação para o ENADE são ações de conscientização com os alunos para que eles entendam a importância desta avaliação, buscando mostrar que esta nota é importante para eles também, afinal, um curso bem avaliado tem mais respeito pelo mercado e isso soma positivamente na empregabilidade.

Outra forma de mostrar qualidade aos seus alunos e possíveis alunos é investindo em Marca. Claro, todos os indicadores que citei acima somam à imagem da sua instituição, mas a qualidade percebida pelo público pode ser conquistada de outras formas.

Trabalhar Marca, ou Brand, é trabalhar a imagem. Isso quer dizer que você pode influenciar a maneira com que as pessoas enxergam sua instituição. Então você pode ser “a instituição nota 5 no MEC” em um anúncio, ou “a instituição com melhor empregabilidade da região” no seu perfil do Linkedin. Pode ser referência em algo como ter “os melhores laboratórios de informática do estado” na sua capa do Facebook, ou a melhor infraestrutura em seu Instagram. Basta estudar o nicho que você quer atingir, entender suas necessidades e trabalhar na construção desta imagem.

A medida com que as pessoas vão tendo contato com essas mensagens, elas vão assimilando isso como verdade. É claro que você tem que entregar realmente aquilo, nenhum tipo de comunicação sobrevive quando o produto é ruim ou a mensagem é falsa, pode ter certeza disso!

Eu tive um professor na época do meu MBA que dizia: propaganda boa é produto bom.

Recentemente, lendo um artigo sobre Sales Hacking, li a seguinte afirmação: “Muitas vezes, o próprio produto é o catalisador dos resultados de Marketing (descoberta, vendas e referência)”

Dica de ouro: Dê opções no campo financeiro para seus alunos

Um dos fatores responsáveis pelo crescimento da procura por um curso superior a partir dos anos 2000 foi o financiamento estudantil feito pelo governo, o FIES.

O censo de 2014 apontou um crescimento de 224% de alunos nas instituições privadas no Brasil desde  2000. Coincidência ou não, o FIES surgiu em 1999.

É fácil perceber a importância do financiamento estudantil, mas com a crise do FIES que vivemos em 2015 descobrimos que ele também pode ser um vilão.

Mas por que estou falando isso? Para você não se acomodar com esse programa do governo!

Por motivos óbvios, você certamente não conseguiria competir diretamente com uma instituição pública no quesito “Preço”, não é mesmo? Mas você pode facilitar a parte financeira para seu aluno ou futuro aluno. Algumas instituições já saíram na frente e desenvolveram o seu próprio plano de financiamento estudantil.

Agora junte essas duas dicas que acabei de te dar: qualidade nos seus cursos e facilidade de pagamento. BINGO! Você está pronto para disputar alunos com as instituições publicas.

Se você está passando por problemas sérios e perdendo muitos alunos, entre em contato comigo, posso te ajudar muito com retenção de alunos. Clique aqui e converse comigo direto no meu email pessoal.

P.s > Leia também sobre o panorama para educação em 2017 e as mudanças do FIES.

Sobre o autor:

Daniel Antonucci Mestre em Educação e possui MBA em Marketing e em Gestão Acadêmica e Universitária. Apaixonado por Gestão, Tecnologia e Relacionamentos e com experiência de mais de 15 anos no Ensino Superior Brasileiro é CEO e co-fundador do CRM Educacional, empresa especializada em CRM para Instituições de Ensino. É também sócio e conselheiro da 5Seleto – Agência de Marketing Digital especializada em Educação, conselheiro da Bearings Vocacional, empresa especializada em orientações de carreiras e também atua como Docente em cursos de MBA e em oficinas e cursos do SADEBR – Seminário de Ações Digitais na Educação Brasileira.

COMPARTILHE:

Outras notícias Mais relevantes Últimos dias