(31) 2531-3161

Chat CRM Educacional

Cenário econômico: você vê problemas? Nós vemos oportunidades de Captação de Alunos

Cenário econômico: você vê problemas? Nós vemos oportunidades de Captação de Alunos

Publicado em 16 abril 2015 e escrito por

É de conhecimento de todos nós a atual situação econômica do Brasil. A alta nos preços de bens de consumo e serviços como gasolina e energia elétrica, o dólar que nos assusta cada dia mais, a inflação em alta, a redução de incentivos fiscais e outros que não caberão neste post. Esse conjunto de fatores está mudando completamente a imagem de prosperidade que o país passava há pouco tempo atrás, nos colocando cada vez mais distante daquele momento de crescimento que atraía investidores ávidos por um mercado promissor. Se colocarmos nossa lente especificamente no mercado educacional brasileiro, a situação fica ainda mais preocupante.

Como eu já disse anteriormente aqui no blog, as alterações que foram feitas nas regras do FIES viraram de cabeça para baixo o setor e vem assustando os mantenedores que estão assistindo os investidores irem embora e ficando cada dia mais receosos com a situação do seu fluxo de caixa. Estão assustando também os setores responsáveis pela captação de alunos das IES’s privadas, que estão enfrentando uma dificuldade ainda maior para captar os alunos que dependem do FIES e que, em alguns casos, tem este programa como principal fonte de renda da sua instituição.

Os motivos para a descrença são muitos, não é mesmo? Realmente, ao que tudo indica, as campanhas de captação de alunos do segundo semestre não serão nada fáceis. Mas quando decidi escrever esse texto, prometi a mim mesmo que você, ao terminar de ler esse post, irá olhar para essas dificuldades e falar: QUE BOM, AGORA EU VOU ME DESTACAR!

oportunidade de captação de alunos

Gostaria de te contar uma história e, depois disso, tenho certeza que você enxergará esta situação de maneira positiva. Me dá 05 minutos? Te garanto que eles podem mudar o seu dia e abrir os seus olhos para novas oportunidades.

A fábula dos dois elefantes 

Pedro era um jovem garoto que adorava brincar na rua de sua casa em uma pequena cidade do interior de Minas. Em uma de suas andanças, viu que um circo chegava à cidade e foi logo contar para sua mãe, no intuito de que ela o levasse ao espetáculo. A mãe então resolveu fazer esse agrado ao filho.

Ao chegar da noite, o menino se aprontou eufórico para o compromisso. Dessa vez nem reclamou de ter que lavar seus cabelos no banho. Chegando no local onde o circo havia se instalado, Pedro ficou maravilhado com todas aquelas luzes, tantas coisas gostosas de se comer, todas aquelas pessoas… o sorriso não saía de seu rosto. Naquela época, ainda era permitido animais nos espetáculos circenses e foi justamente o número que mais trouxe brilho aos olhos de Pedro. Seu pequeno coração se encantou de uma forma inexplicável com aqueles animais que até então só havia visto em livros. “Nossa, eles são tão inteligentes. Como podem fazer todas essas coisas?”, pensava ele.

Após quase duas horas de pura alegria o espetáculo chegou ao fim. Pedro, que já não aguentava mais ficar sentado no meio de tantos animais incríveis, tratou logo de puxar sua mãe e seguiu para atrás do picadeiro. Ultrapassou as cortinas e ganhou a permissão dos artistas que ali estavam (eles não tiveram coragem de conter aquela empolgação gerada pela magia do circo). Então o pequeno garoto correu, desviou de tudo o que não fosse seu principal interesse, os animais. Até que ele avistou os elefantes! Mas uma coisa o surpreendeu: o elefante grande estava preso por uma fina corda, num pequeno pedaço de pau enterrado no chão. Já o elefante filhote, muito menor, estava preso em uma forte corrente que estava soldada na grande e pesada estrutura do circo.

Curioso com aquela situação, Pedro foi perguntar para sua mãe porque o elefante grande estava preso por algo tão frágil e o elefante pequeno, muito mais fraco que o outro, estava preso por um objeto muito mais forte e pesado. Foi então que sua mãe sabiamente lhe explicou: “Pedro, muitas pessoas são como o elefante grande. Elas se acostumam com certas situações pois sempre viveram presas a elas. Quando existe a possibilidade da mudança, elas tem dificuldade em enxerga-la e continuam presas por amarras que sequer existem.”

Ao ouvir sua mãe Pedro pensou: “Nunca deixarei que essas cordas me prendam ao chão”.

Pedro ou elefante? 

A decisão é sua: quer ser como Pedro ou como o grande elefante, preso as amarras da situação em que se encontra? Vai esperar sua IES perder a captação de novos alunos para tomar alguma atitude? As amarras estão aí, não adianta se lamentar. As mudanças já foram impostas e provavelmente serão longevas.

E é justamente aqui que está a oportunidade. Como diz o velho ditado: “Enquanto alguns choram, eu vendo lenços”.

Cinco ações que você pode (e deve) fazer para enfrentar a crise do FIES… 

…e passar a vender lenços. Se você é um leitor assíduo do nosso blog, já deve ter percebido que somos aficionados por listas. Mas claro, gostamos das listas que trazem resultados. Vamos a ela:

  1. Ofereça financiamentos alternativos ao FIES (privados) com juros zero! Sim, mantenha a vantagem que o aluno tem com o FIES e absorva o juros do financiamento. Melhor ter um aluno pagando uma mensalidade 2% menor do que não tê-lo.
  2. Amplie as suas ações de empregabilidade. Um aluno empregado, mesmo que num estágio, tem uma chance muito menor de desistir do seu curso se ele tiver como paga-lo, sem depender de mais ninguém.
  3. Crie programas de monitoria e iniciação científica. Cada aluno que participar destes programas, além de ajudar outros alunos a se desenvolver, estará garantido ao menos 50% de sua mensalidade. A lógica é a mesma do primeiro item. Melhor ter alunos pagando 50% da mensalidade e prestando um serviço para a IES do que não tê-los.
  4. Desenhe (ou redesenhe se já for nosso cliente) suas Personas! Até 2010 o FIES era pouco representativo e ainda assim as IES conseguiam captar os alunos. Logo, se revisarmos nossas “Buyer Personas”, poderemos descobrir um público que está esquecido, pois todos estavam focados em alunos do FIES. Ajuste seus diferenciais, sua comunicação e sua prestação de serviços para esta nova persona e navegue em oceanos azuis.
  5. Relacionamento! Vou bater nesta tecla sempre. Se relacione com seu publico alvo de forma atrativa, convincente e transmita autoridade em todas as ações de comunicação que for realizar. Desta forma, se o aluno tiver que escolher entre você e uma IES concorrente, provavelmente ele escolherá a que tiver maior autoridade nos assuntos de interesse dele.

Tenho certeza que depois dessa leitura sua cabeça deve estar fervilhando de novas ideias, além das que coloquei na lista acima. Faz assim: deixe suas ideias nos comentários deste post que depois poderemos escrever um novo post compilando todas estas ideias.

Enfim, espero realmente que essa mensagem tenha feito diferença no seu dia. Que você se liberte de suas amarras e não tenha medo de se reinventar quando forem colocados obstáculos no seu caminho.

Independente de suas escolhas (Pedro ou elefante) saiba que torço por você e me coloco a disposição para te ajudar e trabalhar rumo ao seu sucesso.

Como diriam os Jedis numa situação como essa: Que a força esteja com você.

 

Sobre o autor:

Felipe Souza

COMPARTILHE:

Outras notícias Mais relevantes Últimos dias