Panorama do Ensino Superior em 2017

 In Estratégias Marketing Educacional, Mercado educacional, Relacionamento e Retenção

Foi lançado a 7ª edição do Mapa do Ensino Superior no Brasil, um estudo divulgado pelo Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp),  que retrata o ensino superior em 2017  com dados sobre os principais cursos, perfil dos estudantes e valor médio das mensalidades.

Pela primeira vez, o Mapa também trouxe informações sobre empregabilidade e remuneração. Entre os fatores abordados, um dos dados que mais chamam a atenção é que mesmo com o número de matrículas maior 26% nos cursos presenciais, o patamar alcançado em 2015 ainda é menor que o registrado em 2013: 617 mil contra 655 mil.

O número de ingressantes também caiu: 12,7% na modalidade presencial e 4,8% na modalidade a distância.

E em vista disso, nesse texto gostaria de te mostrar alguns dados e avaliar como eles podem ajudar a atrair mais alunos para a sua instituição.

Concluintes classes C e D

Aumentou o número de alunos nas faixas de renda inferiores a três salários mínimos e de jovens pertencentes as classes C e D diplomados na faculdade, em comparação com o estudo anterior, de 2014.

O número de formandos subiu 4,7 pontos percentuais na faixa com renda familiar de até 1,5 salário mínimo, ou seja, 13,5% dos formados, e 3,4 pontos percentuais na faixa entre 1,5 e 3 salários mínimos, o que representa 26,8%, a maior parcela dos diplomados do ensino superior.

O aumento é um dos efeitos da expansão de programas como o Fies e o Prouni.  Vamos trazer essa conta para números reais. Desenvolvemos uma calculadora para descobrir quantos dos seus alunos que utilizam esses programas ainda podem ser captados pela sua instituição.

Cursos mais procurados

Nos cursos presenciais, a maioria dos alunos matriculados (52,3%) está na faixa etária de 19 a 24 anos – na rede pública, o percentual é de 57,8% e, na rede privada, de 50,1%. A faixa de 25 a 29 anos também contempla um número considerável de alunos, chegando a 20%.

Entre os cursos mais procurados pelos estudantes, por faixa etária até 24 anos, estão para alunos presenciais direito (765 mil matrículas), administração (506 mil) e engenharia civil (300 mil).

Já na faixa etária de 25 a 44 anos, os cursos presenciais mais buscados foram direito, administração e enfermagem e, na faixa etária acima de 45 anos, os preferidos foram direito, pedagogia e psicologia.

Com isso, observamos que o relacionamento durante a captação, pode ser o grande diferencial para sua IES. Nesse sentido é preciso que a instituição esteja onde o candidato está e o ajude também a não seguir os “cursos mais badalados”, mas  aquele que melhor se encaixa ao perfil do estudante.

Aumento de matrículas

A evolução das matrículas nos cursos de nível superior a distância registrou, de 2009 a 2015, crescimento de 66%, com aumento de 90% na rede privada e uma queda de 26% na rede pública.

No período de 2014 a 2015, o crescimento na rede privada chegou a 5,2% (1,20 milhão de matrículas para 1,26 milhão). E na rede pública ocorreu uma queda de 7,9% nas matrículas (eram 139 mil em 2014 e reduziram para 128 mil em 2015)

Mesmo com esse aumento, muitas instituições ainda perdem muitos inscritos que não convertem em matrículas na instituição.  E um dos motivos para isso, é não acompanhar o candidato até a efetivação do seu contrato de estudos.

Várias ferramentas que podem ser usadas para otimizar esse processo estão nesse texto Taxa de conversão no vestibular: transforme inscritos em matriculados, explico alguns detalhes sobre o assunto.

Aumento da Evasão

A pesquisa mostra que, desde 2010, a taxa de evasão no ensino superior está em crescimento. Em 2015, a taxa de evasão dos cursos presenciais no país atingiu o índice de 28,6% na rede privada e 18,4% na rede pública. Nos cursos EAD, no mesmo ano, o índice chegou a 34,2% na rede privada e 28,7% na pública”, aponta o estudo.

A resposta está em um detalhe que muitas vezes a instituição não percebe, trabalhar o RELACIONAMENTO com o aluno e mensurar constantemente os indícios de evasão que o estudante possa estar demostrando no seu comportamento.

Conseguir manter o interesse de quem faz parte do corpo discente é um grande desafio. Para solucionar essa questão, a estratégia de marketing educacional pode (e deve) ser uma grande aliada.

👉 Confira esse conteúdo que falo um pouco mais sobre o assunto: Como o Marketing Auxilia a IES na Retenção de Alunos

Ensino Superior em 2017

O Mapa do Ensino Superior, apresentou um panorama da educação superior no país ao longo dos últimos 15 anos. Um estudo que abrangeu todos os estados brasileiros detalhado por mesorregião.

Para entender melhor sobre as estratégias apresentadas, ainda sugiro nossa ENCICLOPÉDIA DE CAPTAÇÃO DE ALUNOS, que apresenta como o funil de venda irá ajudar na captação de alunos no mercado atual de IES.

Recent Posts

Leave a Comment

Dynamics CRM educaçãocultura de captação computador

Vendas: 11 3900.1190 | Contato: Clique aqui